2015/04/07

Ernani Pinto Basto - nosso amigo


O Ernâni morreu. Para a família, para os seus amigos a notícia foi brutal. Chegou sem preparação, assim mesmo, brutal. E depois já no velório, todos dissemos, desacreditando no acontecido, que tínhamos estado com ele a semana passada, há uns dias, há umas semanas e ele estava bem, parecia tão bem! Parece impossível - exclamava-se em confidência como se a morte não fosse dona da vida.
Como foi?
Estava na terra dos antepassados, na Lixa, lá em cima no Minho, passeava com o filho Sérgio e o irmão Eugénio. Viram-no, a despropósito, inclinar-se para a frente e... cair. Cair sem uma palavra. Cair sem um adeus. Uma síncope fulminante. Coração. Explicávamos uns aos outros mesmo sabendo que já sabiam. E lembrámos junto do Sérgio e da filha Elisa e dos irmãos, o Eugénio e o Ludgero e de toda a família ali, ainda incrédula, lembrámos como nos faz falta e custa aceitar. O Paulo Almeida que já não ensina Matemática no IST, aos futuros engenheiros, dizia-me, no crematório, baixinho: "sou muito tradicional, agora devia dizer-se umas palavras".

2012, convívio no "palácio" do Jaime. 

2009 Maio - Convívio no terraço da casa do Tó e da Manela
 
2010 Setembro, lançamento de livro do Rui Martins na Barata, Lisboa

1999 - 40º aniversário de início do serviço militar obrigatório, cadetes na EPA, em Vendas Novas.  
 
 
1960-GACA 2 Torres Novas. Oficiais milicianos e comandante da 2ª bateria de Artilharia Anti-Aérea
 
1960 - GACA 2 Torres Novas. Oficiais milicianos.


1961 - Convívio de colegas da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa
 
 
 1963, no campo de futebol da Associação de Estudantes do IST em Lisboa.


 Dezembro 1959. Cadetes, no CIAAC, Cascais, a preparar novos Caminhos Marítimos para a Índia


27 de Novembro de 1975, com a Céu, nossos padrinhos de casamento.
 

2 comentários:

Lena disse...

A foto no campo de futebol (1963) está o máximo!
Quem não viveu esses tempos e
conhece o Sergio, logo reconhece o Ernani.

Natália Bravo disse...

Este 25 de Abril de 2015 sem o Ernâni corta-me a esperança e a alegria que partilhei com ele durante tantos anos.
Salpicou de ternura uma grande parte da minha vida. Protegeu-me e ralhando-me com a doçura que todos lhe conheceram, ajudou-me a crescer e a pensar. Sinto-lhe tanto a falta! Ele não gostava da net, lembram-se? E eu todos os dias tenho querido dizer ao mundo o imenso vazio que deixou em toda a sua família e amigos. Mas hoje é 25 de Abril e preciso dizer que, para sempre, ficará o meu amigo guardado no meu coração.